Seis comportamentos das crianças que não devem ser ignorados pelos pais

AdobeStock_93809465-pp.jpg
Imagem: AdobeStock.

É comum e saudável que as crianças tenham bastante energia para gastar e sejam espontâneas e barulhentas. Contudo, segundo a neuropediatra Karina Weinmann, especialista em desenvolvimento infantil, é preciso prestar atenção às alterações comportamentais, que podem ser sinais de que algo está errado. Veja alguns comportamentos que podem necessitar da ajuda de um profissional especializado, como um psicólogo ou neuropediatra:

1. Fazer xixi na cama: depois dos quatro anos, urinar na cama durante a noite pode estar ligado a situações de estresse, como a chegada de um irmão, mudança de escola ou separação dos pais; ou a problemas como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Pode ainda ter relação a alterações orgânicas, como o mecanismo fisiológico responsável pela micção. Algumas crianças apresentam enurese noturna até os cinco anos, apesar de que, nessa idade, a maioria já consegue controlar a bexiga tanto durante o dia quanto à noite.

2. Pesadelos: entre 20% e 30% das crianças entre cinco e 12 anos têm pelo menos um pesadelo a cada seis meses, segundo dados da Associação Brasileira do Sono. Entretanto, se essa média aumentar repentinamente, pode ser um alerta de que a criança esteja passando por uma situação difícil, como bullying na escola ou alguma mudança na vida familiar.

3. Choro sem motivo: ele pode ser apenas uma demonstração de necessidade de carinho dos pais, mas também é a primeira forma de comunicação da criança para expressar sentimentos de raiva, frustração, medo e angústia. “O ideal é conversar com a criança e intervir o quanto antes. Em alguns casos, quando o choro é excessivo e persistente, e está ligado a outros sintomas, pode ser sinal de depressão infantil”, alerta a neuropediatra.

Bored Schoolboy Looking Away While Leaning On Table
Imagem: AdobeStock.

4. Mau desempenho escolar: se a criança era uma excelente aluna e as notas começam a baixar de repente, é preciso analisar as causas, que podem ser excesso de atividades, problemas com amigos, bullying, dificuldades no âmbito familiar, entre outras.

5. Perda de interesse em atividades: a dificuldade ou a incapacidade de se motivar a realizar atividades que antes eram prazerosas é um sinal importante quando se manifesta na infância. A criança pode, ainda, ficar mais quieta, preferir ficar sozinha e reclamar que tudo é chato.

6. Rebeldia sem causa: crianças que reagem de forma muito agressiva quando são contrariadas, têm resistência em aceitar regras, argumentam com os adultos de forma incansável e não reconhecem a responsabilidade perante o mau comportamento precisam ser avaliadas. “Esses comportamentos podem indicar a presença do Transtorno Opositor Desafiador (TOD)”, destaca Karina.

Por Marisa Sei.

 

BANNER ESCOLAS DO BEM - APP