Mitos e verdades sobre a amamentação

canstockphoto19079999
Foto: Canstock.

Amamentar o bebê é um ato natural e que faz muito bem à saúde, porém, muitas mamães podem ter dificuldades nessa hora. Buscar ajuda especializada (do obstetra, pediatra ou em rodas de amamentação, por exemplo) pode ser de grande ajuda, além de buscar informação, já que as dúvidas podem dificultar ainda mais o procedimento. A ginecologista e obstetra Erica Mantelli esclarece alguns mitos sobre o tema:

 

1 – Ansiedade e estresse interferem na produção de leite.

Verdade. O estresse produz uma quantidade de adrenalina que bloqueia a oxitocina, hormônio da amamentação. Por isso, a mãe tende a produzir menos leite em momentos de estresse e ansiedade. Buscar o relaxamento com atividades de lazer e até terapias é importante nessa fase.

 

2 –O leite é fraco em algumas mulheres.

Mito. Após o parto, a mulher começa a produzir um leite adequado para beneficiar o bebê. No primeiro momento, o leite é mais claro porque tem a função de hidratar e saciar a sede. Depois, torna-se mais encorpado, por conta da quantidade de gordura, que serve para alimentar o bebê. Para oferecer um leite nutritivo, basta se alimentar e se hidratar adequadamente, seguindo as orientações do médico.

 

3 –Amamentação é um processo doloroso.

Mito. Podem acontecer problemas como rachadura no mamilo e dor, porém, eles não aparecem se a pega for ideal. Nos casos em que exista desconforto na hora da mamada, é importante procurar o ginecologista e verificar se não há sinais de mastite (infecção).

 

4 – Silicone interfere no leite materno.

Mito. O implante não atrapalha a produção de leite. É fundamental procurar um cirurgião plástico de confiança para que a cirurgia não afete a glândula mamária.

 

5 – A posição do bebê pode interferir na mamada.

Verdade. O ideal é a mãe permanecer sentada e colocar o bebê contra o seu corpo, a cabeça apoiada no antebraço, do mesmo lado do seio que será oferecido. Para não cansar o braço, um travesseiro pode ser usado para elevar o bebê.

 

6 – A amamentação pode ser considerada um método anticoncepcional no pós-parto.

Parcialmente verdade. A amamentação produz um hormônio chamado prolactina, que impede a ovulação, porém, se o bebê deixar de mamar em certos horários, o ciclo menstrual pode voltar. O ideal é consultar o ginecologista e escolher o melhor método contraceptivo para o período.

 

7 –O leite materno não pode ser congelado.

Mito. O leite pode ser conservado por até 12 horas na geladeira e congelado por 15 dias em recipiente esterilizado. Para isso, ele deve ser retirado e guardado imediatamente no congelador ou freezer.

 

8 – Amamentar deixa os seios flácidos.

Parcialmente verdade. Isso depende da genética e do corpo de cada mulher. Em algumas, os seios aumentam, em outras, diminui, e a flacidez também pode ocorrer devido ao processo natural de mudança do corpo, e não por causa da amamentação.