Mulheres com longas jornadas de trabalho têm mais dificuldade para engravidar

woman-talking-on-phone-in-office_1398-5
Foto: Freepik.

É o que mostra um estudo realizado na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, que analisou dados de 1.739 enfermeiras com idade média de 33 anos e que estavam tentando engravidar. A maioria trabalhava somente no turno da manhã ou da noite e 16% enfrentavam escalas rotativas. Mais de 30% trabalhavam acima de oito horas. Comparando os dados, os pesquisadores descobriram que trabalhar mais de 40 horas por semana pode aumentar em 20% o tempo que a mulher leva até ficar grávida, em relação a quem trabalha entre 21 e 40 horas. Uma das explicações seria o cansaço e a falta de tempo para as relações sexuais frequentes para atingir o objetivo. “A fadiga gerada por trabalhos extenuantes, associada muitas vezes ao estresse mental e emocional de determinadas ocupações profissionais, tem sido bastante recorrente, já que impactam o bem-estar físico e mental das pessoas. Quando esse fator encontra outras variáveis, como idade avançada, excesso de peso, doenças persistentes, fumo, álcool etc., é hora de recorrer a um tratamento de reprodução assistida”, avisa o especialista em medicina reprodutiva Assumpto Iaconelli Junior.

 

Texto de Marisa Sei