Hábitos alimentares na gestação influenciam diretamente no desenvolvimento do bebê

gravida-comendo.jpg
Foto: Freepik.

A gravidez é um período responsável por grandes mudanças na vida da mulher, tanto físicas quanto emocionais. Além disso, também é o período que o apetite aumenta e a importância de se alimentar bem é grande, já que os bebês dependem dos nutrientes consumidos pela mãe para que possam se desenvolver com saúde.

Segundo Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, durante a gestação, é imprescindível que as mulheres mantenham uma dieta balanceada e saudável. “A alimentação, além de completa e equilibrada, deve se adaptar as fases e necessidades da gestante. É importante, para isso, ter o acompanhamento de uma especialista para entender melhor as particularidades de cada organismo e gravidez”, afirma.

Com o intuito de auxiliar as gestantes em relação aos alimentos e nutrientes que realmente são benéficos, a nutricionista listou as opções que não podem faltar no cardápio durante o período.Veja:

 

– Ácido fólico: Um levantamento realizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – que estudou 1,6 milhão de pessoas entre 1993 e 2005 – apontou que 41,8% das gestantes de todo o mundo são anêmicas. “O ácido fólico, presente em alimentos como feijão, ervilha, vegetais verdes escuros, soja, sementes e nozes, contribui com o combate a anemia, equilibra os glóbulos do sangue e confere melhor desenvolvimento neurológico do bebê”, pontua Cyntia.

– Vitamina C: Encontrada na laranja, limão, tangerina, entre outras frutas cítricas, a vitamina C participa da produção de colágeno e é importante para a formação muscular, além de reduzir o risco de anomalias congênitas do feto. “As frutas ricas em vitamina C ainda fornecem minerais, cálcio, fósforo e potássio, nutrientes essenciais para o desenvolvimento do bebê”, comenta a nutricionista.

– Cálcio: Essa substância auxilia na formação dos dentes e ossos do bebê. “Podemos citar como importantes fontes: aveia, soja, tofu, linhaça e couve manteiga, sendo a última a principal delas”, elenca a especialista.

– Cereais integrais: Ricos em fibras, os cereais integrais evitam o intestino preso, problema comum entre gestantes, e fornecem energia. “O ideal é sempre substituir alimentos refinados pelas versões integrais, o que não é uma tarefa difícil, visto que sobram boas opções desse tipo no mercado”, orienta a nutricionista.

– Vegetais: Esses alimentos devem ser consumidos em abundância pela gestante, pois eles contêm grande quantidade de vitaminas, mineiras e fibras. “A cenoura, beterraba, abobrinha, brócolis, espinafre, escarola e couve-flor, por exemplo, são excelentes para a formação de DNA e do tubo neutral do feto no início da gestação. Para uma alimentação saudável, completa e com um aporte adequado de nutrientes, a Organização Mundial da Saúde recomenda que sejam consumidas, pelo menos, 5 cores de alimentos entre as refeições de um dia”, conclui Cyntia.

 

Fonte: Superbom.