Separação: Como não gerar traumas nas crianças?

familia
Foto: CanStockphotos.

A separação dos pais não precisa ser algo necessariamente ruim para os filhos. Eles devem sempre ter em mente que a separação é entre o casal e os filhos devem ser poupados do estresse e das brigas. Quando isso acontece e quando a situação fica bem resolvida para ambos, a tendência é haver uma aceitação melhor por parte das crianças.

De acordo com a psicóloga Marisa de Abreu, dependendo da situação, a criança até pode sentir que essa foi a melhor decisão para a família. “Nem sempre há sofrimento, considero até mesmo possível que, conforme o caso, a própria criança perceba como sendo esta a saída mais lógica para seus pais“, explica.

Em outros casos, segundo a psicóloga, talvez não dê para evitar, mas pode ser possível amenizar sofrimentos. “Para isso é necessário deixar muito claro que a separação é apenas do casamento, mas ele continuará sendo amado pelos dois da mesma forma”, frisa.

Quando isso acontece e quando a situação fica bem resolvida para ambos, a tendência é haver uma aceitação melhor por parte das crianças.

No momento de comunicar aos filhos sobre a separação, os pais devem ter muito cuidado. As palavras devem ser simples, objetivas e, de preferência, livres de culpas ou condenações mútuas. É fundamental que o pequeno saiba que isso não vai mudar o amor que os pais têm por ele.

Vale ressaltar que nem sempre as separações terminam de forma harmoniosa. Na maioria das vezes, há discussões, brigas e ressentimentos. E os adultos devem se lembrar de que as crianças não precisam participar dessas cenas. Pelo contrário! Devem ser poupadas dos momentos tensos, pois isso acaba se tornando um fardo grande para os pequenos carregarem.

 

Texto de Rose Araujo

 

Fonte
Marisa de Abreu, psicóloga clínica

 

BANNER ESCOLAS DO BEM - APP