Roncos podem dar sinais de problemas de saúde nas crianças

dormindo
Foto: Pixabay.

 

Muitas vezes encarado apenas como um incômodo para quem dorme ao lado, o ronco, na verdade, pode ser sinal de algo errado com a saúde, tanto na vida adulta quanto na infância.

Segundo a otorrinolaringologista Beatriz Lana, a criança roncadora que não tratar desde o inicio os sintomas se tornará um adulto roncador no futuro.

“Existem consequências a curto e a longo prazos. Crianças com ronco podem ter um comportamento extremamente fatigado ou hiperativo; podem não crescer, por não respirarem bem. A longo prazo, as alterações faciais só serão corrigidas com cirurgias grandes na face, extensa terapia fonoaudiológica e fisioterapia postural”, relata a especialista. Portanto, o ideal é deixar os ouvidos bem abertos ao sono da criança e procurar ajuda médica quando perceber roncos.

Na maioria das vezes, o que provoca o ronco é uma obstrução na passagem de ar pela via aérea, que se inicia no nariz. “O recém-nascido pode ter um dos canais nasais não desenvolvidos ou parcialmente aberto, chamado atresia de coanal e ficar sem diagnóstico até a idade adulta”, informa Beatriz. Quando o problema existe bilateralmente, raramente fica sem diagnóstico, já que o bebê, quando nasce, não sabe respirar pela boca, dando sinais de que há algo errado no nariz.

Portanto, o sono da criança merece atenção desde os primeiros dias de vida. Fique de olho na respiração, que deve ser regular e pelo nariz; nos ruídos e roncos; e se a criança apresenta sonolência excessiva durante o dia. Além disso, é preciso prestar atenção ao desenvolvimento dos dentes e dos ossos da face. Caso o pequeno apresente qualquer dificuldade durante o sono, procure o pediatra, que poderá encaminhá-lo a um especialista.

 

 

Texto de Marisa Sei

Fontes
Beatriz Lana é otorrinolaringologista, especialista em medicina do sono

 

 

810x400 instituto infancia-app3