Mitos e verdades sobre a toxoplasmose na gravidez

Conhecida como “Doença do Gato”, a toxoplasmose é um problema que preocupa principalmente em gestantes, pois se tiverem contato com fezes do animal e contraírem o parasita, há o perigo de infectar o feto e causar problemas de má formação. Por isso os ginecologistas alertam as futuras mamães para este risco.

Porém, não há motivos para a grávida se desfazer de gatos ou ficar bem longe deles durante este período, desde que tome alguns cuidados de higiene. Segundo o veterinário Bruno Monteiro da Silva, “a contaminação só acontece se ingerirmos os oocistos esporulados, que estão presentes nas fezes acumuladas destes animais há mais de 24 horas. Também é possível se contaminar com água que não seja tratada e alimentos que não foram lavados corretamente, bem como carnes mal passadas”, diz o especialista.

Para se prevenir da doença, o correto é utilizar os conceitos básicos de higiene. Quem tem gatos em casa deve recolher suas fezes pelo menos uma vez ao dia, limpando sempre a caixinha higiênica. Lave sempre as mãos após esta limpeza ou ao brincar com o animal. Evite tomar água contaminada, lave muito bem as frutas, verduras e legumes, e não coma carnes mal cozidas.

Aves e cães também transmitem a doença ao homem.
Mito. Com exceção dos felinos que servem tanto como hospedeiro intermediário e definitivo, os demais animais são somente hospedeiros intermediários, ou seja aqueles que formam cistos nos tecidos, e somente darão continuidade ao ciclo se um felino ingerir esse tecido. “Esses animais não podem nos transmitir toxoplasmose”, diz Bruno.

Crianças que brincam na areia podem contrair a doença caso tenham contato com fezes de gatos.
Verdade. “É necessário que os pais tomem alguns cuidados quando os filhos brincarem em tanques de areia ou parques com terra. Nas escolas, deve-se ter o cuidado de tratar a areia onde as crianças brincam e cobrir os tanques durante a noite, para que os gatos não defequem no local. E, o mais importante: as crianças devem sempre lavar bem as mãos com água e sabão, após o contato com terra ou areia, mesmo a da praia”, diz a veterinária Cátia Lima.

Mulheres grávidas devem ficar longe também de pombos, para não prejudicar a formação do bebê.
Em termos. A Dra. Cátia Lima explica que os gatos podem transmitir o parasito através das fezes, mas os pombos não. A única maneira de adquirir toxoplasmose de pombos seria ingerindo sua carne crua ou mal cozida. Mesmo assim, a grávida deve ter bastante cuidado com os pombos, pois o contato com suas fezes pode transmitir outras doenças perigosas.

Todos os gatos são infectados pelo parasito.
Mito. Nem todos. Quando isso acontece, a maioria não apresenta sintomas clínicos. “Para evitar a doença, os proprietários devem fornecer somente ração de boa qualidade, e evitar que eles comam carnes cruas e restos de comida caseira. Deve-se evitar também que eles cacem e comam ratos, pássaros e alimentos fora de casa. Atualmente, não existe vacina para prevenção da doença nos felinos”, diz a Dra. Cátia.

Fontes
Dr. Bruno Almeida é médico veterinário da Clínica Cães e Gatos, em Sorocaba.
Dra. Catia H. Almeida Lima é médica veterinária e proprietária do Léo, um poodle branquinho que tem 17 anos e do Cinza, que foi adotado da rua, há 4 anos.

 

 

 

it (4)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s