Veja os principais mitos e verdades sobre a caxumba

Inchaço no pescoço, febre baixa e dor na região afetada. Esses são os principais sintomas que indicam a presença da caxumba, uma doença infecciosa que tem assustado muita gente do ano passado pra cá, devido aos surtos registrados em diversos estados brasileiros. O problema é que a doença vem sido confundida até mesmo com dor de garganta.

Conheça a doença

A caxumba é uma doença infecciosa causada por um vírus RNA da família Paramyxoviridae. O período de incubação varia de 12 a 25 dias após a exposição, com média de 16 a 18 dias.

A transmissão acontece por meio de gotículas da respiração, contato direto ou com as roupas da pessoa contaminada. Depois de ficar exposta a um doente e ser infectada, os sintomas se iniciam ​após um período ​de 14 ​a​ 18 dias.

Os principais sintomas são:

– Dor de cabeça
– Inchaço e dor nas glândulas salivares
– Dor ao mastigar ou engolir
– Febre
– Fadiga ou fraqueza
– Perda de apetite

Confira os principais mitos e verdades sobre a caxumba:

1- A caxumba pode ter sintomas parecidos com os da gripe ou dengue.

VERDADE. Como a maioria das doenças virais, a caxumba pode cursar com sintomas gerais e inespecíficos como febre, dor de cabeça, dor muscular, dor no corpo, e pode ser confundida com a gripe ou a dengue, por exemplo.

2- Os períodos de maior propagação são inverno e primavera.

 VERDADE. Por ser um vírus, a caxumba tem a propagação facilitada por aglomerados de pessoas. Os períodos de maior incidência, como o inverno, favorecem o surgimento de surtos.

3- O paciente não precisa ficar isolado, a partir da confirmação de diagnóstico.

MITO. É necessário isolamento do paciente alguns dias para evitar a propagação da doença.

4- Objetos utilizados pela pessoa contaminada precisam ser desinfetados.

VERDADE. Para evitar a transmissão da doença as pessoas que convivem com o paciente, utensílios, como talheres, pratos e copos, devem ser lavados com água e sabão.

5- Todas as pessoas que foram vacinadas estão prevenidas da contaminação.

MITO. Nem toda vacina é 100% eficaz e mesmo pessoas vacinadas podem adoecer. Porém, a vacinação é a melhor estratégia para evitar a contaminação pelo vírus.

6- Crianças estão mais vulneráveis a contrair o vírus.

VERDADE. Pessoas de todas as idades podem ser contaminadas, mas crianças são pacientes mais frequentes.

7- Lugares com aglomerados de pessoas são propícios de contaminação.

VERDADE. Aglomerados humanos, como escolas, creches, abrigos, transporte público, etc, oferecem mais riscos para a contaminação, assim como a gripe e outras doenças virais transmitidas por gotículas de saliva ou secreção respiratória.

8- Existe tratamento específico.

MITO. Não existe tratamento específico para a infecção viral e, como a doença regride espontaneamente, medidas de controle dos sintomas são suficientes.

9- E possível evitar consequências graves da caxumba como surdez, meningite e até esterilidade.

MITO. Uma vez estabelecida a doença não existem medidas que evitem complicações. A esterilidade é muito rara, mesmo entre os casos que apresentam orquite, que já são bem pouco frequentes.

 

Texto de Rose Araujo

Fontes: Isabella Ballalai, médica e presidente da Sociedade Brasileira de Imunização (Sbim);
Guilherme Bruno de Lima Júnior, médico de família e comunidade, membro da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).

 

 

810x400 instituto infancia-app3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s