Como entender os sinais de fome e saciedade do seu filho?

Para compreender os sinais de fome é preciso desenvolver um relacionamento positivo de alimentação entre cuidador e criança. A interação e a comunicação entre ambos influencia o progresso das habilidades de alimentação e o consumo adequado de nutrientes. Uma atitude responsiva do cuidador é o centro do desenvolvimento de um bom relacionamento com a comida e das primeiras experiências alimentares.

 Claudia de Cássia Ramos, fonoaudióloga clínica que atua nas áreas de motricidade oral, fala, linguagem e dificuldades alimentares, separou uma  lista com os sinais que indicam fome e saciedade. Confira:

Sinais mais comuns que indicam fome

  • Abrir a boca enquanto se alimenta para indicar que quer mais
  • Sorrir, brincar, mover a cabeça em direção ao cuidador ou a colher
  • Tentar agarrar a colher
  • Apontar para a comida
  • Ficar excitado e feliz quando a comida se aproxima
  • Quando mais velho, expressar desejos específicos por comida através de palavras ou sons

Sinais mais comuns que indicam saciedade

  • Selar os lábios
  • Virar a cabeça para o lado
  • Diminuir ou parar de sugar
  • Cuspir o bico ou a comida
  • Pegar no sono ou se distrair e prestar atenção mais no ambiente
  • Diminuir a velocidade de ingestão
  • Fechar a boca ou empurrar a comida
  • Balançar a cabeça em sinal negativo
  • Quando mais velho, verbalizar que “não quer mais”

Observar e respeitar os sinais da criança proporciona um ambiente favorável para o bom desenvolvimento alimentar. É importante sempre oferecer a comida de uma forma positiva, sem forçar, insistir ou chantagear. “Quando um adulto força a criança que está em processo de aprendizagem, a consumir uma quantidade adicional de alimento quando ela já está satisfeita, ela fica confusa em relação às suas sensações de fome e saciedade, podendo gerar, entre outros, uma atitude passiva da criança frente ao alimento”, completa Claudia.

 

9722_01_A_810x400px_Banner-Mobile_Escolas-do-bem_Nutrifam

Anúncios