Saiba como fazer o uso adequado de repelentes em crianças

Durante o verão surgem algumas preocupações para os pais, entre elas, a proteção contra os mosquitos através dos repelentes, já que nesta estação a incidência de insetos é mais alta. Os mosquitos, além de oferecerem risco de reações alérgicas através de suas picadas, podem transmitir doenças, como os casos de febre amarela e dengue.

Como devo escolher e como aplicar o produto adequadamente em meu filho? esta é uma dúvida frequente em nosso consultório, para isso, preparei algumas dicas e recomendações para os papais, que estão certos de se preocuparem, pois existem restrições importantes para a preservação da saúde dos pequenos” afirma Dra. Samantha Talarico, Dermatologista e membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).

É recomendado que os repelentes sejam utilizados em locais com maior incidência de mosquitos, como: praias, parques e fazendas. No momento da escolha pelo repelente, é fundamental que os pais optem por produtos aprovados pelo Ministério da Saúde ou pela Anvisa, pois assim serão garantidos a segurança e eficácia do produto.

A especialista ressalta que bebês com até 6 meses de idade não devem fazer o uso de repelentes e nem entrarem em contato com ambientes protegidos com repelentes elétricos, a proteção contra os mosquitos deve ser realizada somente através de mosquiteiros, telas e roupas. “Para os bebês de 6 meses a 2 anos, também recomendo que seja evitado o uso destes produtos, devendo ser utilizados somente em situações especiais e sempre sob orientações médicas”, destaca a médica.

Recomendações importantes:

·         Não permitir que a criança durma ou permaneça com o repelente no corpo por período prolongado, este deve ser retirado com água e sabão;

·         Leia sempre as indicações e contraindicações do produto a fim de evitar complicações;

·         Não permita que a criança auto aplique o produto, evitando assim sua ingestão e sérias complicações, como a intoxicação;

·         Evite aplicar o produto próximo a boca, nariz, olhos ou em feridas;

·         Evite aplicar o produto sob roupas, uma vez que sua ação depende da evaporação, além disso, a oclusão com roupa pode favorecer o desenvolvimento de alergias

·         Utilize quantidade suficiente do produto (recomendada pelo fabricante) para a proteção de áreas expostas, evite sua aplicação por de baixo das roupas;

·         Sempre aplique o produto em intervalos recomendados pelo fabricante;

·         Tenha preferência por loções cremosas para as crianças, pois são mais seguras;

·         Estes produtos podem causar reações alérgicas, por este motivo devem ser utilizados sempre sob orientações médicas;

·         Os repelentes devem ser sempre os últimos produtos a serem aplicados, depois dos hidratantes ou filtro solares.

“Outras medidas complementares também devem ser adotadas para a proteção das crianças, como a utilização de telas em portas e janelas, a refrigeração do ambiente através de ventiladores e ar condicionado, a utilização de vestimentas claras, de preferência com mangas e calças compridas, a não aplicação de produtos com fragrância, e o cuidado com a limpeza e a dedetização do ambiente” reforça a Dra..

Fonte: Dra. Samantha Talarico, dermatologista.

 

810x400 instituto infancia-app3

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s