Conexão entre mãe e bebê pode ser reforçada de diferentes maneiras

Durante os meses de gestação, a conexão entre mãe e feto – por mais que ele ainda não possa compreender – já começa a ser desenvolvido por meio de carinhos na barriga, conversas e a sensação de que ele é desejado.

Conexão mãe e bebê.png

Depois do nascimento, instantaneamente o vínculo fica mais intenso assim que mãe e filho se reconhecem, porém seu fortalecimento é gradativo.

Segundo a psicóloga, o melhor exemplo de atividade que integra a dupla é ainda a mais natural na rotina diária de uma nova mãe: a amamentação. “É o momento mais importante, pois é quando são estimulados mecanismos sensoriais, hormonais, fisiológicos, imunológicos e emocionais”, diz a especialista.

Parte do dia-a-dia, as trocas de fraldas e roupinhas também são uma opção válida e produtiva, onde estão presentes os olhares, conversas e toques. Já no banho, a psicóloga diz que a melhor dica é segurar o bebê no colo e tornar tudo mais interativo.

Mãe e bebê

“Dessa maneira ele poderá sentir a mãe junto dele, sentir seu cheiro, se divertir. É uma ótima oportunidade para criar laços e passar um tempo de qualidade com o bebê”.

Outras alternativas que fortalecem o vínculo entre mãe e bebê são a shantala (técnica indiana de massagem), exercícios físicos com o bebê também podem ser praticados, como por exemplo a ioga, que cria uma integração e momentos para meditar e relaxar.

Fonte: Salete Arouca, psicóloga.

Este conteúdo é compartilhado pelo Programa Escolas do Bem, do Instituto Noa.