Consumo equilibrado de ovo favorece o desenvolvimento saudável das crianças

As crianças precisam de uma alimentação nutritiva para ter um crescimento e desenvolvimento saudáveis. Opções para incluir no cardápio do dia a dia não faltam, e o ovo é uma delas! O alimento é versátil e, por isso, pode conquistar facilmente o paladar dos pequenos.

“A gema do ovo bem cozida pode começar a ser oferecida a partir do sexto mês de idade, já a clara, somente após os 12 meses”, orienta a nutricionista Julieta Harumi Tajima. A clara do ovo é liberada só após o primeiro ano de vida pelo alto teor de albumina, uma proteína que pode desencadear sintomas alérgicos em pessoas sensíveis.

Repleto de benefícios

O ovo é rico em ferro, mineral que combate e previne a anemia; vitamina D e fósforo, duas substâncias importantes para a saúde dos ossos; e vitamina B12, que age na formação de hemácias, células vermelhas do sangue; entre muitas outras substâncias benéficas.

Porém, o que mais se destaca no alimento são as proteínas. “São nutrientes que podem ser comparados a ‘tijolos de construção’, portanto, auxiliam no crescimento da criança”, destaca Julieta.

alimentacao-infantil-0717-1400x800
(Foto: Frepik)

As proteínas são necessárias para a formação e manutenção de todos os tecidos do corpo (pele, cabelos, unhas e músculos, por exemplo). E, para completar, o ovo contém luteína e zeaxantina, uma dupla de substâncias antioxidantes que trabalham para a saúde dos olhos, promovendo a boa visão durante a vida toda.

Para obter só os benefícios, basta evitar excessos, o que é indicado para qualquer alimento. “A ingestão excessiva pode provocar o aumento dos níveis séricos de colesterol ruim LDL, aumentando o risco de dislipidemias e doenças cardiovasculares”, avisa a nutricionista Renata Alvarenga.

É importante também ter atenção ao modo de preparo: o ovo não deve ser frito, para não acrescentar gorduras prejudiciais e calorias ao prato. Boas formas de preparo são ovo cozido, pochê ou omeletes feitas com pouco óleo e em frigideira antiaderente (para deixá-las ainda mais nutritivas, acrescente alguns legumes picadinhos, como cenoura, beterraba, abobrinha ou cebola).

Quanto consumir?

“Crianças menores, de dois a seis anos, podem consumir três ovos por semana. Crianças a partir de seis anos podem consumir até dois ovos por dia, mas o ideal é ter moderação”, responde Renata. O importante é incluí-lo em uma alimentação equilibrada, com outras fontes de proteínas (carne, frango, peixes), frutas, verduras, legumes e carboidratos, variando as opções durante a semana.

Fonte: Julieta Harumi Tajima, nutricionista; Renata Alvarenga, nutricionista.

 

Leia também:

Montar cardápio com menos doces e salgadinhos é fundamental para que a criança cresça com saúde

O perigo das dietas restritivas para as crianças

10 dicas para melhorar a alimentação da família

Este conteúdo é compartilhado pelo Programa Escolas do Bem, do Instituto Noa.

 

Anúncios