Prefeitura de Votorantim convoca aprovados em concurso

O6X2VI0.jpg
Imagem: Freepik.

A Prefeitura de Votorantim publicou na sexta-feira (13) a convocação dos candidatos aprovados e classificados nos concursos públicos para auxiliar de serviços infantis, Professor de Educação Básica II – habilitado educação física, inspetor de alunos, escriturário, motorista, médico clínico geral e auxiliar de enfermagem plantonista. Ao todo serão 81 vagas.

Todos os editais podem ser consultados no portal www.votorantim.sp.gov.br.

Para ocupar as 56 vagas para auxiliar de serviços infantis, estão sendo convocados os candidatos aprovados e classificados do número 90 ao 225 no Concurso Público nº 03/2015. Esses deverão comparecer à sessão que ocorrerá dia 24 de janeiro, às 9h, no auditório “Francisco Beranger”, que fica na Avenida Vereador Newton Soares, nº 291, Centro.

Para ocupar as quatro vagas em PEB-II, estão sendo convocados os classificados do 11º ao 18º, que deverão se apresentar na Secretaria de Educação nesta quarta-feira (18), às 9h, na Avenida Santo Antônio, nº 562, Barra Funda.

Para o cargo de inspetor de alunos são sete vagas onde estão sendo convocados os classificados do 13º ao 29º, além da portadora de deficiência Gislaine de Almeida Pacheco. Esses devem se apresentar na sala de reuniões da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento (SPD), que fica no piso superior da Prefeitura de Votorantim, na Avenida 31 de Março, 327, no Centro, no dia 23 de janeiro às 11h.

Fonte: Prefeitura de Votorantim.

Anúncios

Como os pais podem influenciar o temperamento de seus filhos?

56136225_20.jpg
Imagem: Canstock.

Todas as crianças nascem com uma personalidade e um temperamento únicos. Seu temperamento afeta a forma de se comportar e reagir às situações. Ao adotar as práticas parentais mais apropriadas para seu filho, os pais podem atenuar alguns aspectos mais difíceis de seu temperamento.

  • Os pais de crianças ansiosas, medrosas ou que se retraem diante de situações que não conhecem podem evitar se mostrar super protetores e encorajar com cuidado que seu filho explore o mundo e as oportunidades de forma cuidadosa.

  • Os pais de crianças ousadas, que se arriscam demais, podem se mostrar calorosos e afetuosos e estabelecer limites firmes e horários regulares.

  • Os pais de crianças impulsivas podem dar os parabéns por um bom comportamento (ou seja, as situações em que as crianças conseguem controlar sua impulsividade) e exercer uma disciplina suave.

Em geral, as crianças têm a tendência de apresentar um temperamento melhor quando seus pais lhes oferecem bastante apoio e afeto, estabelecem limites claros, utilizam uma disciplina positiva e atendem sistematicamente às suas necessidades.

 

Fonte: Enciclopédia sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância.

 

BANNER ESCOLAS DO BEM - APP

Programação para Avós e Netos estimula a integração entre gerações no Sesc Sorocaba

42407
Imagem: DIvulgação.

O Sesc Sorocaba participa este mês da ação em rede “Avós e Netos”. A proposta foca o aprendizado e integração entre gerações, possibilitando a criação conjunta, o convívio e o fortalecimento dos laços afetivos. A programação inclui a palestra “A relação avós e netos: uma visão antroposófica”, no dia 19, quinta, às 19h e a oficina “Mãozinha na massa: Avós e netos na cozinha”, no dia 25, quarta, às 14h.

Palestra

Na palestra “A relação avós e netos: uma visão antroposófica”, o pediatra e médico da família Ricardo Ghelman, irá mostrar que existe uma distância muito interessante entre estas duas gerações, uma distância que permite o desenvolvimento de uma qualidade especial de relação entre pessoas em fases tão distintas da vida baseada na empatia, liberdade e amor.

Avós e netos pertencem a duas fases polares do ciclo biográfico.  Na palestra, o pediatra aborda temas como a amizade, o amor, a sinceridade, a honestidade as histórias e as receitas caseiras de comidas típicas da família. Todas essas coisas são um mundo de experiências e conhecimentos fora da escola, podem ser ensinados na cozinha, no sofá, em um passeio no parque.

Ricardo Ghelman, além de médico pediatra e da família, é pesquisador e professor na Área de Medicina Antroposófica e Medicina Integrativa. É docente e coordenador do Ambulatório de Antroposofia e Saúde do Setor de Investigação em Doenças Neuromusculares da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

A palestra será realizada no dia 19, quinta, às 19h, na Sala de Oficinas. Estarão disponíveis 60 vagas e a palestre é de graça e livre para todas as idades. Os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência, na Central de Atendimento.

Oficina

Na oficina “Mãozinha na massa: Avós e netos na cozinha”, a equipe da Culinária Sustentável D`angelo Projetos irá envolver avós e netos num ambiente de afeto, cuidado e sabor. A oficina pretende tratar do alimento como algo essencial em nossa cultura, (re) conectando essas gerações.

Os avós já foram pais e revivem a experiência de ter crianças no seio familiar pela segunda vez. É como um renascimento em suas vidas, um despertar para um novo ciclo, quando tudo parecia estar consolidado e conhecido.

A D’Angelo Projetos & Ideias Sustentáveis realiza, há 13 anos, projetos que tenham em sua essência princípios da sustentabilidade aplicados na culinária. Ministra oficinas variadas de culinária para adultos e crianças como culinária vegana, alimentação sem glúten, alimentação sem lactose, saladas variadas, alimentação esportiva, entre outras.

A oficina será ministrada no dia 25, quarta, às 14h, na Sala de Oficinas. São 50 vagas gratuitas, para todas as idades. Os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência, na Central de Atendimento.

 

 

 

Banner-escolas-do-bem_shopping_cidade_pizza_810x400

Férias no Museu promove atividades gratuitas

ferias-no-museu-historico-ft-assis-cavalcante-001.jpg
Imagem: Assis Cavalcante.

Com o objetivo de divertir e ocupar as crianças durante as férias escolares e, ao mesmo tempo, aproximar o público infantil do Museu Histórico Sorocabano, a Prefeitura de Sorocaba promove nos dias 24 e 25 de janeiro a quarta edição do Projeto “Férias no Museu”. As atividades são gratuitas e direcionadas a meninos e meninas, entre 7 e 12 anos de idade.

No dia 24, a partir das 10h até as 12h, as crianças terão a oportunidade de brincar com jogos de tabuleiro. Para tal atividade não é necessária a realização de inscrição.

Ainda no dia 24, a partir das 19h as crianças e responsáveis poderão participar da visita noturna no Museu Histórico Sorocabano. A inscrição será realizada entre os dias 18 e 20, pelo e-mail mhs@sorocaba.sp.gov.br.

No dia 25, a garotada assistirá a exibição de uma animação, em mais uma sessão do “CineBonde”. Para a atividade também é necessário realizar inscrição.

O Museu Histórico Sorocabano está instalado na área do Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”, na Rua Teodoro Kaizel, 883, na Vila Hortência.

Inscrições e mais informações podem ser obtidas pelo e-mail mhs@sorocaba.sp.gov.br .

Para inscrição são necessárias as seguintes informações: nome completo da criança, nome completo do responsável, idade da criança e telefones de contato.

 

 

 

Banner-escolas-do-bem_shopping_cidade_pizza_810x400

Crianças não têm tempo suficiente para brincar, diz pesquisa

48f0cb5abde83
Imagem: Canstock.

Mais de mil pais e mães participaram de um questionário realizado pelo Museu das Crianças de Minnessota, nos Estados Unidos e 70% deles concordam que as crianças não têm tempo para brincar devido à agenda apertada.

Atividades extracurriculares como aula de idiomas, esportes e música não deixam sobrar tempo livre para as brincadeiras.

Além disso, o cansaço por causa dessas atividades faz com que as crianças optem por diversão que não demande esforço físico, como videogame e televisão – 88% dos pais afirmam que os filhos passam um tempo excessivo com aparelhos eletrônicos em geral.

Outros fatores que atrapalham as brincadeiras, citados pelos pais, foi a falta de segurança e de espaços abertos como parques.

 

BANNER ESCOLAS DO BEM - APP

Conversar sobre sexo com os filhos ajuda a estabelecer uma relação de confiança

Family at leisure
Imagem: Freepik.

“Quando eu era criança, tinha muitas dúvidas sobre sexualidade, mas não perguntava para os meus pais por medo de levar bronca, além de ter muita vergonha. Hoje, respondo as perguntas dos meus filhos sem inventar história e sem gaguejar, pois acredito que crescerão mais bem-informados e seguros”, relata a designer Mariana Mota, mãe de Rita e Gabriel, de 12 e 8 anos, respectivamente. A designer ainda pode ser considerada uma exceção, já que a maioria dos adultos tem dificuldade em abordar o assunto com as crianças.

“Muitos pais, por conta da própria falta de uma educação sexual, de uma criação rígida e muito reprimida, não sabem como conversar e não conseguem acolher esse momento dos filhos. As crianças passam por fases que vão favorecer o seu desenvolvimento psíquico e emocional. É importante os pais ficarem atentos a essas fases e abordarem questões sobre sexualidade que ajudem essa construção”, afirma o psicólogo Breno Rosostolato.

 

Crianças mais seguras

Estabelecer uma relação de confiança, inclusive, é fundamental para que os pequenos possam recorrer aos adultos sempre que acharem necessário e pode evitar até mesmo casos graves, como de abusos sexuais. “Em casos de abuso e violência existe sempre uma relação de segredo, poder e medo, em que a criança é instruída a não contar aquilo a ninguém. Quando há uma relação positiva e de confiança com os pais, ela se sente segura para romper essa situação”, explica a psicóloga Patrícia Pereira.

É por isso também que, desde cedo, o indicado é ensinar o nome correto dos órgãos sexuais e que o corpo das crianças pertence a elas – e, portanto, ninguém pode tocá-lo sem o seu consentimento. “Assim, aumenta-se a autonomia da criança em evitar ou mesmo reconhecer um abuso”, complementa a psicóloga.

E o papel da escola?

Geralmente a educação sexual vira tema discutido nas escolas quando as crianças chegam aos 10 ou 11 anos. Para a psicóloga, é fundamental que a escola aborde o assunto desde cedo, justamente pela dificuldade que algumas famílias têm para falar sobre sexualidade em casa, ou mesmo por falta de conhecimento, o que faz com que informações inverossímeis sejam transmitidas às crianças.

Contudo, para o psicólogo Breno Rosostolato, os pais não deixam de ter papel fundamental na educação sexual dos filhos. “A escola é uma extensão do ambiente familiar, mas que abordará a sexualidade de maneia científica como aspecto fisiológico, seu funcionamento e prevenção”, diz. Valores relacionados à sexualidade, por exemplo, são aprendidos muito mais em casa, no dia a dia. “Um dos principais motivos para falar sobre sexo com os filhos é combater condutas machistas e preconceituosas que levam a situações de intolerância e violência”, destaca Patrícia.

 

teacher-helping-students-in-class_1098-1855
Foto: Freepik.

Em cada fase

As dúvidas vão mudando conforme a criança vai crescendo. Por isso, os psicólogos dão as dicas para lidar com o assunto em cada idade.

  • A partir dos 4 anos: é o começo da fase dos “porquês”. Os pais precisam fornecer as respostas e deixar claro que essas coisas pertencem ao mundo dos adultos e farão parte da vida do filho no futuro.

  • Aos 8 anos: é a idade em que a criança já presta atenção ao sexo oposto. Os pais devem conversar sobre a diferença entre homens e mulheres, já podendo explicar que os órgãos (que os pequenos já devem conhecer os nomes e as características) são usados para gerar os bebês.

  • Aos 11 anos: até essa idade, é importante os pais ficarem atentos à transmissão de valores, regras e normas socialmente aceitos. Não usar estereótipos e nem conceitos preconceituosos que favoreça o homem ou a mulher, por exemplo, é essencial.

  • Na adolescência: nessa fase ambos os sexos já têm consciência de suas identidades sexuais. “Os pais devem dar espaço para o pré-adolescente, o diálogo deve ser constante sem ser invasivo e agressivo e deve seguir no sentido de orientar, mas, principalmente, passar confiança e segurança”, recomenda Breno.

 

BANNER ESCOLAS DO BEM - APP